1. Seu ciclo
  2. Saúde
  3. Menstruação

Padrões de verificação de fatos do Flo

Todo o conteúdo do Flo Health segue os padrões editoriais fundamentais de rigor médico, credibilidade dos dados e informações atualizadas. Para entender como asseguramos a credibilidade das informações sobre saúde e estilo de vida, confira os nossos princípios de revisão de conteúdo.

Tomar pílula anticoncepcional para regular a menstruação: como isso funciona

Mais da metade de todas as mulheres que tomam pílula anticoncepcional nos EUA faz isso também para outros propósitos além da contracepção. Médicos frequentemente receitam contraceptivos hormonais para lidar com cólicas menstruais ou para regular a menstruação.

Vamos analisar a ciência por trás desses usos dos contraceptivos hormonais, juntamente com o Conselho Europeu e Faculdade de Obstetrícia e Ginecologia.

O que tem na pílula?

Existem dois tipos principais de pílulas anticoncepcionais: os contraceptivos orais combinados (COCs) e as chamadas pílulas só de progestógeno ou PSPs, que também são conhecidas como minipílulas. Ambos contêm análogos sintéticos dos hormônios sexuais femininos. As COCs têm tanto formas sintéticas de estrogênios quanto de progesterona (progestágenos), enquanto as minipílulas contêm apenas os progestágenos.

Os hormônios sexuais femininos influenciam o corpo em diferentes níveis. É por isso que, além de evitar uma gravidez indesejada, as pílulas anticoncepcionais podem tratar desequilíbrios hormonais ou suavizar os sintomas relacionados ao ciclo menstrual.

Regulação da menstruação

A rigor, se estiver tomando contraceptivos hormonais, você não menstrua. Em vez disso, há dois tipos diferentes de sangramentos que podem acontecer.

O sangramento de privação é comum entre quem usa COCs. Ele ocorre quando você faz uma pausa programada, ou seja, para de tomar a pílula ou toma pílulas inertes por sete dias. Esse é o tipo de sangramento mais fácil de controlar. Ele é chamado de sangramento de privação por ser induzido pela retirada dos hormônios durante a pausa.

A outra forma de sangramento é chamada de sangramento de escape. O nome vem do fato de que o sangramento ocorre enquanto você está tomando a pílula. Ele acontece quando a camada interna do útero não recebe hormônios o suficiente para permanecer estável e então começa a sangrar.

No entanto, isso não é um sinal de que algo está errado — apenas sinaliza que o revestimento interno precisa se adaptar aos hormônios.

O sangramento de escape é mais comum em quem usa minipílula, pois ela é tomada sem pausas. Ele é irregular por natureza, e é por isso que as minipílulas não são a melhor escolha se você quiser estar no controle do seu sangramento. O sangramento de escape também pode acontecer se você se esquecer de tomar uma pílula COC.

Se você tem menstruações irregulares, seu médico pode receitar COCs para tratar essa condição. Ao liberar a quantidade exata dos hormônios corretos nos horários ideais em sua corrente sanguínea, essas pílulas criam um "ciclo contraceptivo hormonal" em seu corpo. Isso é semelhante ao ciclo menstrual natural, mas pode ser muito mais regular e previsível para algumas mulheres.

De um ponto de vista médico, não é necessário ter sangramento de privação a cada 28 dias, como sugerem muitos esquemas contraceptivos. Na verdade, é possível tomar COCs todos os dias com uma pequena pausa a cada três meses ou até mesmo com menos frequência. As mulheres que fazem isso têm um sangramento de escape semelhante à menstruação quatro vezes ao ano ou menos, de acordo com um cronograma.

Controle da dor menstrual

Cólicas menstruais intensas são outro problema que os contraceptivos orais combinados podem resolver. Para entender como isso funciona, você precisa saber o que são as prostaglandinas.

Esse mecanismo é importante para a sua saúde reprodutiva, mas contrações muito fortes podem ser dolorosas. As prostaglandinas também comprimem os vasos sanguíneos, o que causa falta de oxigênio nos tecidos e, por consequência, dor. A combinação de contraceptivos orais afeta esses dois mecanismos. Eles fornecem alívio ao diminuir a quantidade de prostaglandinas produzidas no útero, deixando as contrações uterinas mais fracas.

Uma observação importante

Embora todos os contraceptivos hormonais contenham hormônios sexuais sintéticos, eles podem agir de maneira um pouco diferente. Isso acontece porque existem muitas variações desses hormônios sintéticos, e suas doses podem ser distribuídas de formas diferentes entre as pílulas de uma embalagem (monofásica, bifásica, trifásica). 

Cada tipo de combinação funciona melhor para determinados casos. É por isso que é importante que o plano de tratamento seja prescrito por um médico, para que a pílula escolhida atenda às necessidades específicas da paciente e da situação. Por exemplo, para alguém que tenha problemas de pele, como a acne, o médico provavelmente prescreverá contraceptivos diferentes do que para alguém que tenha alterações de humor durante a fase pré-menstrual. 

O mesmo vale para DIUs hormonais, adesivos, injeções, anéis vaginais e implantes. Consulte seu médico para escolher uma opção de contraceptivo que seja ideal para o seu corpo, especialmente se você deseja aliviar algum sintoma.

Conclusão

Existem contraceptivos orais combinados aprovados para a regulação da menstruação e para o tratamento da dor menstrual. Eles podem reduzir suas cólicas e ajudá-la a controlar o sangramento semelhante à menstruação. Apenas lembre-se de consultar seu médico sobre qual é a melhor pílula para você.

Conteúdo criado em associação com o EBCOG, ou European Board & College of Obstetrics and Gynaecology (Conselho Europeu e Faculdade de Obstetrícia e Ginecologia).

Leia em seguida