O que é o hímen? Tudo o que você precisa saber

    Atualizado em 18 de março de 2023 |
    Publicação 28 de março de 2023
    Informação verificada
    Padrões de verificação de fatos do Flo

    Todo o conteúdo da Flo Health segue os padrões editoriais fundamentais de rigor médico, credibilidade dos dados e informações atualizadas. Para entender como asseguramos a credibilidade das informações sobre saúde e estilo de vida, confira os nossos princípios de revisão de conteúdo.

    A primeira relação sexual resulta na perda de virgindade, certo? Talvez não seja tão simples assim. Duas especialistas médicas do Flo desmentem os mitos e explicam o que o hímen realmente é. 

    Você já deve ter ouvido suas amigas cochichando sobre “perder o cabaço” ou “quebrar o lacre” durante as aulas de anatomia feminina. Para muitas pessoas, essa é a primeira vez que são apresentadas ao conceito de hímen. Mas se você ainda tem dúvidas sobre com o que o hímen se parece e para que de fato ele serve, saiba que muita gente está no mesmo barco. 

    Apesar de ser minúsculo, a reputação do hímen é gigante. Existem muitos mitos em torno dessa fina membrana localizada na abertura da vagina. Um dos maiores equívocos é acreditar que o hímen rompido é o resultado da primeira relação sexual. Na verdade, isso pode acontecer muito antes. Vamos falar mais sobre esse ponto daqui a pouco.  

    Para acabar com esses mal-entendidos de uma vez por todas, duas especialistas médicas do Flo explicam o que é hímen, onde fica o hímen exatamente e como o hímen feminino muda com o tempo.

    O que é o hímen? 

    Em termos simples, o hímen é uma fina membrana elástica em formato circular na entrada da vagina (canal muscular interno que conecta a vulva ao colo do útero). “Parece mais ou menos um anel fino de tecido na abertura da vagina”, explica a Dra. Sara Twogood, ginecologista obstetra, Los Angeles, EUA. “Pode ser irregular em termos de formato e tamanho, então não é um círculo perfeito”.

    Termos como “quebrar o lacre” dão a entender que o hímen tampa completamente a entrada vaginal antes de ser rompido, mas isso não é verdade para a maioria de nós. Na realidade, é muito raro alguém nascer com o hímen fechado, ou seja, sem algum tipo de orifício.

    Mesmo que você já tenha usado um espelho para se familiarizar com sua vulva e passagem vaginal, talvez não tenha conseguido ver o hímen. Apps como o Flo são de grande ajuda para quem quer saber mais sobre como o corpo muda durante a puberdade e a verdadeira terminologia anatômica. Além de servir como calendário menstrual, o Flo também oferece artigos explicativos sobre tudo, desde tampões de CBD até corrimento vaginal aquoso

    Para que serve o hímen?

    Agora que você aprendeu onde se localiza o hímen, talvez queira saber por que ele existe. 

    Enquanto outras partes da anatomia da vulva têm funções claras, ainda não se sabe para que serve o hímen, como explica a Dra. Beth Schwartz, professora assistente de ginecologia, obstetrícia e pediatria, Filadélfia, EUA. “O hímen é apenas um resquício do desenvolvimento [quando ainda estamos no útero]”. 

    Algumas pesquisas sugerem que o hímen ajuda a proteger a vagina contra bactérias. Com mais pesquisas médicas sobre o corpo humano, talvez sejam descobertos outros motivos para a existência do hímen da mulher. 

    Qual é a aparência do hímen? 

    Pode ser difícil saber exatamente o que é típico para você conforme seu corpo muda e a menstruação começa. Conversar com amigas sobre o que está acontecendo pode ser reconfortante. Na maioria das vezes, porém, não há um parâmetro de comparação. 

    É muito importante se lembrar de que sua vulva é única e não existe um “modelo” perfeito ou ideal, desde que você esteja saudável e feliz. E o hímen não é uma exceção. 

    Não existe apenas um tipo de hímen, isso varia de pessoa para pessoa. Mas, em geral, podemos dividir os tipos em grupos. Os tipos de hímen são:

    Hímen anular

    O hímen anular, ou com formato de anel, é considerado o tipo mais comum. O hímen circunda a abertura vaginal como um anel ou uma rosquinha e, ao se afrouxar ou romper, fica mais parecido com uma lua crescente. 

    Se seu hímen tem este formato, a aparência pode variar um pouco a depender da maneira como se afrouxou ou rompeu.  

    Hímen imperfurado 

    O hímen imperfurado é muito raro. Nesse caso, o hímen é fechado e cobre completamente a entrada da vagina (como um lacre). Isso impede a menstruação de escoar pela vagina. O sangue preso pode provocar dores no abdômen e na pélvis. 

    As pesquisas sobre a prevalência do hímen imperfurado na população variam substancialmente: estima-se que de uma em cada mil até uma em cada 10 mil pessoas apresentam essa condição. Continue lendo para saber como a medicina pode ajudar no caso do hímen imperfurado. 

    Hímen microperfurado 

    É quando o hímen cobre quase toda a abertura vaginal, exceto por um orifício minúsculo. Embora seja possível, é mais difícil para o sangue da menstruação sair da vagina, o que causa períodos menstruais mais longos. Também é complicado e doloroso inserir absorventes internos e outras coisas.

    Hímen septado ou biperfurado 

    O hímen septado tem a membrana circular nas bordas do canal vaginal e ainda uma camada extra de tecido que passa pelo meio, como uma pequena faixa. Isso acaba criando duas aberturas vaginais, em vez de uma, sendo que por isso é também chamado de hímen biperfurado. Esse tipo de hímen talvez cause problemas para inserir e remover absorventes internos. O tecido extra pode romper ao fazer sexo com penetração.

    Hímen cribriforme 

    Nesse caso, o hímen tem vários orifícios minúsculos, tornando muito difícil inserir absorventes internos. Também significa que o sangue menstrual demora mais para sair do corpo, resultando em uma menstruação mais longa. 

    Que mudanças podem ocorrer no hímen?

    No momento do nascimento, pediatras podem verificar se é necessário fazer uma cirurgia para remover uma parte do tecido himenal. No entanto, nem sempre é fácil detectar em um bebê com tão pequeno se o hímen é imperfurado, microperfurado, cribriforme ou septado. O diagnóstico pode chegar muito mais tarde, durante a puberdade, quando se nota dificuldades para inserir absorventes internos, ou períodos menstruais longos e dolorosos. 

    A cirurgia de remoção ou abertura do hímen é chamada de himenotomia. Ginecologistas podem recomendar esse procedimento caso seja difícil inserir absorventes internos ou se a membrana bloquear a saída do sangue menstrual do corpo. 

    Porém, a maioria das pessoas nem percebe a presença do hímen. Além disso, ele não permanece para sempre da mesma forma. Na verdade, o hímen muda conforme crescemos.

    • No nascimento: nas crianças recém-nascidas, o hímen parece mais espesso e carnudo. Ele também pode ser mais rígido e sensível. Quando a puberdade começa, os ovários iniciam a produção do hormônio estrogênio. Isso pode fazer com que o tecido himenal fique mais elástico. 
    • Na perda da virgindade: essa é a grande questão. Afinal de contas, o hímen é rompido na primeira relação sexual com penetração? É verdade que, em alguns casos, o hímen pode romper ou afrouxar na primeira vez que ocorre o sexo com penetração. Mas isso não acontece com todo mundo. É possível também romper o hímen de várias outras maneiras (que vamos comentar abaixo).
    • Na gravidez e após o parto normal: assim como acontece na puberdade, os níveis de estrogênio aumentam durante a gravidez. Isso faz com que o tecido himenal fique ainda mais elástico para o nascimento do bebê. O hímen pode esticar e romper mais durante o parto, quando o bebê sai pela vagina. “A elasticidade volta ao (quase) normal após o parto, mas as lacerações no hímen não se reconstituem”, diz a Dra. Twogood.

    O que acontece quando o hímen é rompido? 

    Palavras como “intacto” e “roto” são geralmente usadas quando se fala sobre o hímen. Algumas pessoas acham que, de um minuto para o outro, o hímen deixa de ser uma tampa que fecha completamente a abertura da vagina e passa a ser um anel de pele rompida, com um orifício. Na verdade, o hímen não quebra desse jeito. Aliás, como sabemos, na maioria dos casos o hímen não sela totalmente a vagina. 

    Em vez disso, podemos imaginar o hímen como um anel elástico que, às vezes, rasga com a fricção ou inserção de objetos na vagina. Embora não haja necessariamente como saber se o hímen já foi rompido por meio de sintomas, algumas pessoas sentem um pouco de dor e têm um leve sangramento. Já outras nem notam que isso aconteceu.

    Como romper o hímen? 

    Vamos desmentir alguns mitos sobre “a perda da virgindade”. Como já mencionamos, o hímen pode afrouxar ou romper na primeira relação sexual com penetração. Isso causa um pouco de sangramento e dor, mas nem todo mundo sente o mesmo. 

    Vários outros motivos podem levar ao rompimento do hímen antes da primeira vez. Aqui estão alguns exemplos:

    • Usar absorvente interno ou coletor menstrual.
    • Fazer um exame pélvico ou teste de Papanicolau.
    • Praticar determinadas atividades, como nadar, andar de bicicleta, jogar futebol e cavalgar.
    • Usar os dedos ou brinquedos sexuais na masturbação.

    Tudo isso é completamente normal e sadio. Talvez você tenha dúvidas se o hímen se fecha com o tempo ou volta a se regenerar depois da “quebra”. Para resumir: não. Mas a Dra. Schwartz explica que o hímen rompido “continua lá, possivelmente só um pouco mais frouxo ou com um formato diferente”.

    Por que o hímen é associado ao sexo? 

    Já que usar absorventes internos e andar de bicicleta podem causar o rompimento do hímen, por que isso é tão associado à primeira relação sexual? 

    A virgindade tem significados diferentes para cada pessoa e cultura. Talvez você tenha ouvido falar, na escola ou em outros locais, que alguém só é virgem antes da primeira relação sexual onde há penetração do pênis na vagina. Outras pessoas consideram que se perde a virgindade com qualquer forma de intimidade sexual. No final das contas, é você quem decide o significado para você, mas a virgindade não se define pelo rompimento de um pedaço minúsculo de pele na vagina. Se esse é um assunto que preocupa ou confunde você, é uma boa ideia conversar com uma pessoa adulta da sua confiança. 

    Desde muito tempo, algumas culturas consideram o hímen intacto como sinal de virgindade e, portanto, de pureza. Como você agora sabe, em termos médicos, isso não passa de um mito. O hímen pode ser rompido a qualquer momento, mesmo em situações que nada têm a ver com sexo.

    Ideias como essas estão ligadas à prática do “teste de virgindade”, um procedimento altamente prejudicial pelo qual pessoas são submetidas a um exame vaginal com a intenção de provar se são virgens ou não. Muitos médicos e organizações de saúde condenam os testes de virgindade.

    O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas diz que não oferece nenhuma orientação sobre testes de virgindade porque não é possível afirmar se alguém fez ou não sexo apenas com um exame vaginal. Do mesmo modo, a Organização Mundial da Saúde classificou os testes de virgindade como uma violação dos direitos humanos.

    Se você está sofrendo pressão de parentes, amigos ou parceiro para “provar” que ainda é virgem, ou se corre o risco de ter que fazer um teste de virgindade, busque o apoio de um adulto da sua confiança. Pode ser uma professora ou alguém da sua família. 

    O que é o hímen: conclusão

    O hímen é o pedaço fino de tecido que fica na entrada da vagina. Pode variar em formato e tamanho, mas não deve nunca causar dor. Não há uma função clara (que seja conhecida). 

    Embora o hímen seja geralmente associado à “perda da virgindade”, ele pode ter afrouxado ou rompido antes mesmo da primeira relação sexual. Um absorvente interno, um longo passeio de bicicleta ou até mesmo o primeiro teste de Papanicolau podem resultar no rompimento do hímen. 

    Assim como o restante da vulva, o hímen é único para cada pessoa. Ele não define se você continua virgem ou não. Mais importante do que saber se o hímen foi rompido ou não é sentir confiança e entender o próprio corpo. 

    Referências

    Virginity Testing. The American College of Obstetricians and Gynecologists, www.acog.org/news/news-releases/2019/11/acog-statement-on-virginity-testing. Acesso em: 21 nov. 2022.

    Amitai, Eitan et al. The Impact of Hymenectomy on Future Gynecological and Obstetrical Outcomes. The Journal of Maternal-Fetal & Neonatal Medicine, v. 33, n. 8, abr. 2020, p. 1400-04.

    Cribriform Hymen. Cleveland Clinic, https://my.clevelandclinic.org/health/diseases/22258-cribriform-hymen. Acesso em: 21 nov. 2022.

    Guy, Faye. Virginity: What Does It Mean and Why Is It Outdated? Brook, 9 set. 2021, www.brook.org.uk/your-life/what-is-virginity/.

    Health and Care Bill: Banning Virginity Testing. GOV.UK, www.gov.uk/government/publications/health-and-care-bill-factsheets/health-and-care-bill-banning-virginity-testing. Acesso em: 21 nov. 2022.

    Hymen. Cleveland Clinic, https://my.clevelandclinic.org/health/body/22718-hymen. Acesso em: 21 nov. 2022.

    Independent Forensic Expert Group. Statement on Virginity Testing. Journal of Forensic and Legal Medicine, v. 33, jul. 2015, p. 121-24.

    Microperforate Hymen. Cleveland Clinic, https://my.clevelandclinic.org/health/diseases/23379-microperforate-hymen. Acesso em: 21 nov. 2022.

    Nunziato, Jaclyn D. e Fidel A. Valea. Reproductive Anatomy: Gross and Microscopic Clinical Correlations. Comprehensive Gynecology, 8ª edição, editado por David M. Gershenson et al., Elsevier, 2022, p. 47-75.e1.

    Schaffir, Jonathan. The Hymen’s Tale: Myths and Facts about the Hymen. The Ohio State University, 20 fev. 2020, https://health.osu.edu/health/sexual-health/myths-and-facts-about-hymen.

    Does a Woman Always Bleed When She Has Sex for the First Time? NHS, www.nhs.uk/common-health-questions/sexual-health/does-a-woman-always-bleed-when-she-has-sex-for-the-first-time/. Acesso em: 21 nov. 2022.

    Histórico de atualizações

    Versão atual (18 de março de 2023)

    Publicação (28 de março de 2023)

    Neste artigo

      Experimente o Flo

      Sign up for our newsletter

      Our latest articles and news straight to your inbox.

      Thanks for signing up

      We're testing right now so not collecting email addresses, but hoping to add this feature very soon.